The news is by your side.

Energia solar abre janela de oportunidades em 2022

A geração independente de energia elétrica a partir de painéis solares está mais democrática e tem movimentado o mercado de trabalho em todo país. Só na capital mato-grossense, Cuiabá, quase 3 mil instalações foram realizadas até agosto, com geração de quase 12 mil empregos. Com perspectivas de bater recordes de instalação em 2022, o setor pode enfrentar dificuldades em encontrar mão-de-obra qualificada.

“Esse ano, já no mês de agosto, superamos todo ano de 2020. Se tirarmos por base mais de 3 mil instalações, só em Cuiabá, e que cada instalação em campo movimenta quatro pessoas, empregamos mais de 12 mil pessoas, só neste ano”, calcula Merivaldo Britto, empresário do setor em Mato Grosso.

O problema é que essa mão-de-obra está em falta e quem procura formação na área tem grandes chances de contratação. “Há necessidade de eletricistas especializados em instalação; profissionais técnicos e de nível superior, como engenheiro com capacitação em energia renováveis”, cita.

Oportunidades em áreas de apoio, como consultor comercial, também demandam preparação. “Precisa ter conhecimento em inúmeros produtos que irão representar e apresentar ao consumidor final. Ou seja, a demanda por trabalhadores ocorre em todos os níveis, da prestação de serviços de limpeza a cargos de gerência e diretoria”, avisa.

A prestação de serviços de instalação ou manutenção de sistema solar subiu ao mesmo tempo em que a conta de energia elétrica ficou mais cara no Brasil. A crise hídrica e o esvaziamento dos reservatórios das hidrelétricas obrigaram o governo federal a instituir nova bandeira tarifárias de escassez, com custo adicional de R$ 14,20 a cada 100 kWh (quilowatts-hora).

“Com isso, a alternativa de gerar sua própria energia ficou ainda mais atrativa. As facilidades de financiamento ofertadas pelas instituições financeiras também contribuíram para que mais pessoas instalassem seu sistema solar”, completa.

Esse aquecimento do setor pode ser observado em números no Sistema Interligado Nacional (SIN). Conforme a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), só na 1ª quinzena de outubro, a produção de energia a partir de usinas solares fotovoltaicas cresceu 46,6%. “Para 2022, acreditamos em números bem maiores”, prevê o engenheiro eletricista.

A expectativa de maior consumo de energia solar para o próximo ano é baseada na votação do Projeto de Lei (PL-5829). O texto já tem aprovação da Câmara dos Deputados e está na lista de trabalhos do Senado Federal, com previsão de entrar na pauta ainda neste ano.

“É o marco legal da geração distribuída, onde engloba a fonte solar. Depois de aprovado e sancionada a lei, teremos um ano de ‘carência’ aos novo consumidores”, avalia. Durante o período, quem aderir ao sistema solar terá a garantia de benefícios até 2040, como pagar menos pelo uso da rede de transmissão.

Para impulsionar ainda mais o setor solar em Mato Grosso, empresários organizam o evento “Cuiabá Solar Expo – Feira de Energia Solar Fotovoltaica de Cuiabá”. Realizado entre os dias 23 e 25 de novembro, no Centro de Eventos da Acrimat, o evento deve tirar dúvidas dos consumidores e criar oportunidades de negócios.

“A feira vai reunir fornecedores que poderão orientar os consumidores residenciais, comerciais e da área rural a comprar e implantar o sistema fotovoltaico na sua residência, comércio ou fazenda. A adesão a energias alternativas é uma tendência, é o futuro do consumo mundial. E Mato Grosso, por conta de seu potencial em energia solar, deve crescer muito nesse segmento”, destaca Alcimar Moretti, organizadora do evento.

 

Potência instalada
Segundo a Agência Nacional e Energia Elétrica (ANEEL), a energia solar teve outro patamar alcançado nos últimos dias de outubro: superou os 4 GW de potência instalada em usinas de geração centralizada no país. Somados aos 7,3 GW de potência instalada de geração distribuída, a fonte solar alcançou 11,3 GW de potência instalada.

Oportunidades
Principais oportunidades no mercado Solar fotovoltaico para 2022 em Mato Grosso:
– Sistema híbridos solar x gerador (Nas regiões de extração mineral);
– Sistema solar fotovoltaico on grid com uso de bateria em horário de ponta;
– Sistema solar fotovoltaico voltado para o setor do agronegócio;
– Prestação de serviços à pequeno produtor (cooperativas e associações);
– Prestação de serviços em condomínios.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação