The news is by your side.

Sesp apresenta plano estratégico para redução da violência contra a mulher em MT

 

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) apresentou, nesta quinta-feira (18.11), em Cuiabá, o Plano Estratégico para redução dos casos de violência doméstica e feminicídios pelos próximos 10 anos em Mato Grosso. O programa foi elaborado pela Câmara Temática de Defesa da Mulher, do Gabinete de Gestão Integrada (GGI), e conta com oito metas que devem ser implementadas até 2030 em Mato Grosso.

Para elaboração do plano, a Câmara Temática considerou os números do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que apontou que os casos de feminicídios aumentaram em 62% em um comparativo com os dados do primeiro semestre de 2020 e 2019. Conforme o estudo, o número de crimes cresceu de 19 para 32 vítimas de violência no período comparado.

Diante desse cenário, a Câmara Temática identificou os principais obstáculos que dificultam o acesso das mulheres aos serviços de defesa para a melhoria dos serviços prestados. A falta de informação das vítimas sobre a violência doméstica é um deles, por isso, o primeiro plano é ampliar as campanhas contra a violência doméstica e se aproximar ainda da mulher.

A segunda meta está relacionada à implantação das redes de apoio à mulher no interior do estado e que prevê a criação de ao menos uma Câmara Temática de Defesa da Mulher nas sedes das Regiões Integradas de Segurança Pública (RISP) a cada dois anos até 2030.

O secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, acredita que ampliando a rede de apoio à mulher será possível fortalecer o apoio a elas e se aproximar ainda mais das vítimas. “Ainda existem muitos casos que ficam no silêncio e a mulher precisa se empoderar do seu direito para que possamos nos aproximar e trazê-las para a proteção do Estado”, disse o secretário.

A representante da Câmara Temática, Patrícia Fachonne, que apresentou a proposta disse que o plano foi criado para dar suporte à Secretaria de Segurança no enfrentamento à violência doméstica. “O plano veio para integrar as instituições envolvidas na defesa da mulher para o fortalecimento das ações e melhoria dos serviços prestados às vítimas de violência doméstica”, explicou.

A Coordenadora do GGI, major da PM Monalisa Furlan Toledo, que também faz parte da Câmara Temática, explica que a implementação das propostas começa no ano que vem. “Nós vamos debater, ainda neste ano, quais dessas metas poderão ser desenvolvidas em 2022 para que possamos fortalecer e aproximar da mulher também no interior do estado”, explicou a coordenadora.

Durante a apresentação do plano, a procuradora e presidente do Conselho Estadual de Defesa do Direito das Mulheres, Glaucia Amaral, agradeceu ao secretário pela criação da Câmara Temática de Defesa da Mulher. “A maior plenitude foi a criação da câmara que é capaz de dialogar com diversos segmentos da sociedade e da justiça para o planejamento das ações contra a violência doméstica”, destacou.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação