The news is by your side.

Rondonópolis volta a impor medidas de contenção após aumento de casos

 

 

Os integrantes do Comitê de Gestão de Crise de Rondonópolis se reuniram na manhã desta sexta-feira (26) e decidiram por unanimidade determinar novas restrições a serem praticadas na cidade. O encontro das lideranças ocorreu após Mato Grosso ter registrado aumento no grau de risco de contágio pela covid-19 e Rondonópolis verificar o aumento de novos casos da doença.

O novo decreto que está sendo elaborado pela Prefeitura começa a valer a partir da próxima segunda-feira (29) e reduz o tempo de funcionamento de estabelecimentos comerciais no período noturno, podendo manter as portas abertas até as 2h. A cobrança do comprovante de vacinação será exigido em todo e qualquer estabelecimento.

A mesma exigência também vai valer para as pessoas que estão chegando na cidade. A fiscalização será mais rígida em estabelecimentos como aeroporto, rodoviária, hotéis e pousadas onde regularmente as pessoas vindas de fora frequentam. Continua a exigência do uso de máscara de proteção individual em qualquer tipo de ambiente.

Os trabalhadores do transporte de cargas que não tiverem com o passaporte de vacinação completo, poderão apresentar um exame do tipo PCR, que indique que está livre do vírus ou ainda tomar a segunda dose caso queira permanecer por vários dias na cidade.

“Estamos notando que o número de contaminação está aumentando, principalmente em pessoas que estão vindo de fora. Vamos endurecer a cobrança pelo passaporte da vacina para evitar a contaminação da nossa população”, ressalta o prefeito José Carlos do Pátio. Um fator importante que preocupa é o número de leitos que está disponível para atender os pacientes com covid, após a desativação do leitos do Hospital Regional e da Santa Casa de Rondonópolis.

Também foi decidido pelo Comitê a suspensão de festividades relacionadas ao carnaval, independente do local. Desta maneira, o município também não deve realizar o tradicional evento de reveillon para evitar aglomerações e um possível aumento da proliferação da doença.

No caso dos eventos, o público máximo permitido é de até duas mil pessoas em ambientes com circulação livre e de 50% de capacidade em ambiente abertos, com lugares marcados. “As medidas visam manter o momento de tranquilidade porque percebemos o aumento de casos de covid em várias cidades e em geral no Estado e não é o que queremos aqui no nosso município”, afirma o secretário de Saúde, Vinícius Amoroso.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação