The news is by your side.

Delegado diz: cena cruel e sádica; casal levou 64 facadas

 

 

Apontado como o principal suspeito de matar a ex-mulher e o atual marido dela com 64 facadas, Roberto Epifânio Pinheiro, que está sendo procurado pela equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Delegado afirma que a cena do crime foi a mais cruel e sádica vista em sua carreira.

A Polícia Militar foi acionada por volta das 14h30, assim que os corpos de Ana Paula Pedro Ribeiro, 41, e do atual namorado dela, Sebastião Antônio de Souza, 40, foram encontrados dentro da casa por uma das filhas de Ana.

Em entrevista à imprensa nesta segunda-feira (13), o delegado Marcel Gomes afirmou que o casal ficou junto por 13 anos, afirmou ainda que eles não tiveram filhos. “As duas filhas dela foram furtos de outro relacionamento. Eles estavam há mais ou menos 6 meses separados”, lembrou.

Roberto mantém um espetinho no Pedra 90, onde trabalhava com Ana Paula. Depois da separação, ele conseguiu a ‘manter por perto’, com o contato permanente de que ela continuasse fornecendo os acompanhamentos do espetinho – arroz, farofa, mandioca.

“Ela e Sebastião estavam juntos há 45 dias mais ou menos, que foi o período em que as perseguições passaram a ficar mais intensas. Ele rondava a casa, queria saber o que ela estava fazendo, fazia vigilância constante do local. Tanto é que, entre sábado e domingo, os vizinhos perceberam que ele andava pelos arredores da casa”, disse.

Casa fechada e cena cruel

Na madrugada de domingo, vizinhos chegaram a ouvir um barulho na casa, tanto é que um deles enviou uma mensagem para Ana Paula perguntando se estava tudo bem. Horas depois, a mensagem foi respondida como nada tivesse acontecido, mas a vítima e o namorado já estavam mortos.

Delegado acredita que Roberto quem respondeu a mensagem. Já na manhã, a filha de Ana tentou falar com a mãe e não conseguiu. Diante da ausência, ela foi até a casa, encontrou o portão principal fechado, mas quando entrou no quarto dos fundos, encontrou os corpos caídos no chão.

“Foi a pior cena de homicídio, mais cruel e sádico que já. Percebe-se que as vítimas já estavam mortas e foram colocadas em posições que receberam diversas facadas por todo o corpo”, lembrou o delegado.

Ana tinha facadas que demonstravam que ela tentou se defender e Sebastião parece ter sido pego de surpresa. Além disso, Instituto Médico Legal (IML) apontou que só na mulher, foram contabilizados 31 facadas e no homem 33. Equipe da DHPP está na rua desde domingo em busca do suspeito e segue ouvindo familiares das vítimas.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação