The news is by your side.

Atualizado: Antes de morrer, rapaz disse que servidor devia dinheiro de drogas

 

Em depoimento à Polícia Civil, o servidor municipal Carlos Eduardo Silva Bello Ribeiro, 27, alegou que matou Gabriel Carrijo Gonçalves, 20, na manhã de quarta-feira (2), em uma praça do bairro Recanto dos Pássaros, após reagir a uma tentativa de roubo. Segundo ele, enquanto fumava um ‘baseado’, Gabriel chegou, puxou assunto e depois sacou uma faca, pedindo o tênis, celular e a carteira de Carlos. Conversas de WhatsApp mostram que Carrijo queria cobrar Carlos de um dinheiro que ele devia ao tráfico.

Investigação que segue na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) aponta que parte do depoimento de Carlos bate com o que as imagens da câmera de segurança mostram no momento do crime. Ele estava sentado na praça quando Gabriel chegou de moto. Em seguida, ele é abordado e os dois passam a conversar e até sentam no mesmo banco.

Não demora muito para entrarem em luta corporal. Consta no relato do investigado à polícia que nesse momento, Gabriel teria sacado a faca, colocou em sua cintura e pediu o tênis, o celular e a sua carteira, fazendo com que ele reagisse. Tanto é que, ao segurar a faca, teve um corte profundo na mão.

image

image

 

 

Servidor da Saúde é preso por matar desafeto em praça de Cuiabá

Corpo encontrado caído em uma região de mata, ao lado de uma praça pública no bairro Recanto dos Pássaros, na manhã de terça-feira (2), em Cuiabá, é de Gabriel Carrijo Gonçalves, 20 – em destaque na foto. Vítima foi atingida por um corte profundo no pescoço durante uma briga. O crime foi flagrado por câmeras de segurança. O autor do homicídio foi preso horas depois e trata-se do agente de saúde contratado da Prefeitura de Cuiabá Carlos Eduardo Silva Bello Ribeiro, 27.

De acordo com as informações apuradas pela reportagem, a briga foi motivada por um acerto de contas por dívida de drogas. Mas, as informações ainda estão sendo apuradas pelo inquérito da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), instaurado logo após a prisão de Carlos Eduardo.

O corpo de Gabriel foi encontrado por populares que faziam caminhada ao lado da área de lazer da praça. Com as marcas de sangue no chão, além das lâminas de faca, bastou seguir os rastros até chegar ao cadáver, que estava caído dentro da área de mata.

No primeiro momento, assim que a PM chegou no local, fez o isolamento da área, mas não conseguiu identificar a vítima. Só depois, com a chegada da Perícia Oficial e DHPP que o caso começou a desdobrar. Uma moto foi encontrada na cena do crime e estava em nome da vítima.

Além do ferimento no pescoço, Gabriel tinha um corte no braço. Imagens de uma câmera de segurança mostraram vítima e suspeito em luta corporal. Depois, mostram o suspeito fugindo em uma motocicleta. Depois de liberado pelo Instituto Médico Legal (IML), o Corpo de Gabriel começou a ser velado na noite de terça e o sepultamento ocorre nesta quarta-feira (3).

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação