The news is by your side.

Hospital deixa de fazer cirurgias por falta de fio de sutura em MT

G1

Pacientes com cirurgias marcadas para essa sexta-feira (18) no Hospital São Luiz, em Cáceres, a 220 km de Cuiabá, tiveram o procedimento remarcado por falta de fio de sutura – ponto cirúrgico.

Os funcionários do hospital também reclamam do não recebimento dos salários de fevereiro. Segundo eles, não houve depósito do pagamento e nem do vale-alimentação.

A unidade hospitalar se pronunciou dizendo que há pendência de pagamento por serviços prestados ao Sistema Único de Saúde (SUS). Alegou que deve fazer o pagamento aos colaboradores na próxima semana.

O hospital também afirmou que os serviços de urgência e emergência não foram afetados.

Segundo os funcionários, 18 pessoas estavam com cirurgias agendadas para essa sexta.

Leia a nota do hospital na íntegra:

O Hospital São Luiz informa que está na dependência da efetivação de repasses dos recursos provenientes do faturamento Sistema Único de Saúde (SUS), para realizar o pagamento dos salários e benefícios dos colaboradores. A previsão é que esses pagamentos sejam realizados no início da próxima semana.

Vale destacar que 80% da produção da unidade acontece por meio do SUS, sendo essa a principal fonte de receita do hospital.

Por isso, o descompasso na realização dos repasses por parte do governo do estado compromete diretamente a dinâmica de operação da unidade e impacta em toda a cadeia de fornecimento de insumos e demais despesas correntes como salários, honorários médicos e prestação de serviços.

Atualmente, o hospital recebe cerca de 100 dias depois de efetivar sua produção. É muito tempo.

Para se ter uma ideia, o mais recente repasse recebido pela unidade refere-se aos atendimentos realizados em outubro do ano passado.

Nesta semana, o São Luiz oficiou à pasta estadual sobre o risco de desabastecimento e interrupção de atendimentos, em decorrência da extrema gravidade da situação dos seus níveis de estoque.

Em relação às cirurgias eletivas, o hospital esclarece que sete procedimentos agendados para esta sexta-feira (18) foram reagendados em decorrência da falta de um tipo específico de fio cirúrgico para sutura.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação