The news is by your side.

Qual é a diferença entre uma bomba nuclear e uma bomba atômica?

 

A invasão russa do território ucraniano, que começou em 24 de fevereiro, mais uma vez colocou o foco na ameaça nuclear sempre presente. Esta questão foi mais ou menos suspensa após o colapso da União Soviética e o conseqüente fim da Guerra Fria, mas neste momento, quando a hostilidade entre a Federação Russa e a OTAN se tornou mais do que evidente, as preocupações sobre um possível apocalipse nuclear foram levantadas novamente.

Por enquanto, essas tensões limitaram-se apenas ao campo da diplomacia e das sanções econômicas, no entanto, se alguma das partes “chegar às vias de fato”, a violência que poderia ser desencadeada na escalada não teria teto.

A realidade é que as únicas pessoas que chegaram ao ponto de lançar uma dessas armas de destruição em massa contra a população civil foram os Estados Unidos. Aconteceu entre 6 e 9 de agosto de 1945. O presidente Harry S. Truman ordenou o lançamento de duas bombas atômicas no Japão, a “Little Boy” em Hiroshima e a “Fat Man” em Nagasaki.

Essa decisão causou tanta dor e causou tanta destruição, que é impossível que os números lhe façam justiça: além da óbvia devastação material nas cidades, as bombas (e a consequente radiação) mataram entre 90.000 e 166.000 pessoas em Hiroshima e a de 39.000 a 80.000 pessoas em Nagasaki.

Se isso acontecesse hoje, as coisas seriam muito piores. Estamos falando do fato de que armas de destruição em massa até 3.000 vezes mais poderosas que o “Fat Man”, que era a de maior potencial destrutivo das duas lançadas em 1945, estão sendo lançadas atualmente.

O que mudou desde então é que os dispositivos lançados em Nagasaki e Hiroshima eram bombas atômicas, e os que estão sendo fabricados hoje são bombas nucleares ou bombas de hidrogênio. Ambos os termos são frequentemente usados ​​​​de forma intercambiável, mas não são a mesma coisa. Mas qual é a diferença entre uma bomba nuclear e uma bomba atômica?

Fusão ou Fissão

A bomba nuclear também é conhecida pelo nome científico de “bomba de fusão”, enquanto a bomba atômica é conhecida como “bomba de fissão”. O funcionamento da bomba de fusão e o da bomba de fissão são opostos: enquanto a bomba nuclear ou a bomba de fusão combina átomos pequenos para formar átomos maiores; o que a bomba atômica ou de fissão faz é dividir átomos complexos em átomos mais simples.

As armas mais modernas desse tipo são baseadas na fusão, pois esse processo de união de átomos libera mais energia e mais partículas radioativas do que a bomba de fissão. E, infelizmente, o fato de terem maior poder destrutivo as torna mais interessante para quem as possui. De fato, para detonar uma bomba de fusão, é usada uma bomba de fissão que está contida nela; e é essa explosão que serve de catalisador para iniciar o processo.

As armas nucleares também são conhecidas como “bombas de hidrogênio” ou “bombas H”, porque são baseadas na união de deutério e trítio, que são os componentes do hidrogênio.

Até agora, nenhum país usou uma bomba de hidrogênio em um conflito armado, mas há vários que podem fazê-lo: Rússia, Estados Unidos, China, França, Reino Unido, Paquistão, Coreia do Norte e Israel têm pelo menos uma dessas bombas à sua disposição.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação