The news is by your side.

Fiocruz nacionaliza fabricação de remédio para Parkinson

Da Redação

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) passará a produzir sozinha o medicamento Pramipexol, que trata a doença de Parkinson. Acabou na quarta-feira (30) a Parceria  de Desenvolvimento Produtivo (PDP) com a farmacêutica alemã Boehringer Ingelheim.

Durante 8 anos, a parceria forneceu mais de 120 milhões de comprimidos do Pramipexol para o Sistema Único de Saúde. O Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) usado na produção do medicamento era fabricado pela empresa alemã. Agora, a Fiocruz passa a fabricar o IFA.

Em 2018, a Fiocruz iniciou a fabricação interna de todas as etapas produtivas do medicamento, fornecendo quase 98 milhões de unidades do Pramipexol aos pacientes do SUS.

Para 2022, sem a parceria com a Boehringer, estima-se a demanda de mais de 30 milhões de unidades do remédio, suficientes para atender milhares de brasileiros com a doença de Parkinson.

“A nacionalização desse medicamento por uma farmoquímica nacional garante o fornecimento de um produto de qualidade”, disse Jorge Mendonça, diretor do Instituto de Tecnologia em Fármacos da Fiocruz.

No Brasil, segundo a Organização Mundial da Saúde, mais de 200 mil pessoas têm Parkinson.

Parkinson é uma doença degenerativa do sistema nervoso central, causada pela perda de células que produzem a dopamina, causando problemas nos movimentos musculares. A doença pode causar tremores, lentidão dos movimentos, rigidez muscular, alterações na fala e na escrita.

 

Com informações de Agência Brasil

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação