The news is by your side.

Deputados cobram ação do STF contra Lula por incitar manifestações na porta da casa de parlamentares

Jovem Pan

 

Em um evento da Central Única dos Trabalhadores (CUT) na última terça-feira (5), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defendeu a manifestação popular na porta da casa dos parlamentares como uma forma de pressionar a votação de pautas que são do interesse da esquerda. “Se a gente pegasse, mapeasse o endereço de cada deputado e fosse 50 pessoas na casa do deputado, não para xingar não, para conversar ele, conversar com a mulher dele, conversar com o filho dele, incomodar a tranquilidade dele…”, comentou Lula. Em resposta, alguns parlamentares cobraram uma ação do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em um vídeo publicados nas redes sociais, o deputado federal Cabo Júnior Amaral (PL-MG) aparece carregando uma arma enquanto chama o ex-presidente Lula para visitá-lo em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, onde mora. “Eu vou esperar você lá. Tanto sua turma como você, para conversar com a minha esposa, com a minha filha, serão muito bem-vindos”, ironizou o deputado enquanto carregava a arma de fogo. Em discurso no plenário da Câmara, o deputado Luiz Lima (PL-RJ) também condenou a fala do ex-presidente. “Será que se o Lula trocasse a palavra ‘deputado’ por ‘ministro do Supremo’, a gente veria uma mágica, uma reação diferente? Quando um ex-presidiário condenado a 12 anos e 11 meses pode participar de eventos, pode fazer propaganda política, pode se candidatar a presidente e pode incentivar o terrorismo?”, questionou.

O deputado Marcel Van Hattem (PP-RS) classificou as declarações de Lula como irresponsáveis e criminosas. “O problema é que ele não tem cara de andar na rua. Ele que vai ter problemas em andar na rua. Eu não. Se o ministro Alexandre de Moraes ouviu esse pronunciamento, será que não vai pedir também a prisão do ex-presidiário, que deveria estar na cadeia, Luiz Inácio Lula da Silva?”, indagou na tribuna. Ao contestar as falas de Lula na CUT, o deputado coronel Tadeu (PL-SP) foi interrompido por Alexandre Padilha (PT-SP) e houve discussão. “Que medo do presidente Lula, hein? Que medo da força da palavra, da presença”, disparou Padilha.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação