The news is by your side.

Sobrevivente de acidente no Portão do Inferno relata excelência no atendimento no HMC

Da redação

Após sofrer um grave acidente no último dia 04 deste mês e cair no penhasco do Portão do Inferno, em Chapada dos Guimarães (a 65 km da capital), o caminhoneiro Daniel Francisco Sales, de 65 anos, atualmente internado no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), Leony Palma de Carvalho, relatou satisfação sobre o atendimento humanizado recebido desde que deu entrada na unidade de saúde, marca da gestão Emanuel Pinheiro. “Hospital melhor que esse para mim não tem, nunca vi igual”, disse ele.

O caso, que ganhou repercussão nacional, foi registrado após o motorista colidir com um paredão, após perder o controle do veículo. Na sequência, ele acabou caindo no precipício, onde permaneceu por  cerca de quatro horas à espera do resgate, em razão das dificuldades enfrentadas pelas equipes de acesso ao local.

Em razão da distância e da gravidade do acidente, o motorista foi transportado via helicóptero. O Hospital Municipal de Cuiabá é o único do Estado de Mato Grosso, que tem heliponto. “A agilidade do transporte e o atendimento com qualidade foram fatores determinantes para a recuperação do paciente”, destacou o gestor do HMC, Paulo Rós.

Daniel passou por procedimento cirúrgico após fratura exposta no pé direito. Ficou sete dias na Unidade de Terapia Intensiva – UTI. Ele sofreu várias escoriações e fraturas de coluna, mandíbula, pé e mão. Segue internada na enfermaria, sob acompanhamento com a neurologia, ortopedia, clínico geral e buco maxilo, seu quadro clínico é considerado estável, porém, ainda não há previsão de alta médica. Nesta sexta-feira (20), ele passou pelo segundo procedimento cirúrgico em decorrência da fratura de mandíbula.

“Eles me resgataram e trouxeram de helicóptero para cá. O hospital para mim é o melhor. O atendimento é maravilhoso, principalmente com os idosos, que cuidam muito bem. Não esperava que minha recuperação fosse ocorrer tão rápido. Um lugar referência, bom demais”, comentou ao relembrar que à época de construção do complexo hospitalar chegou a receber uma proposta de emprego para atuar na logística interna, no entanto, acabou recusando.

Morador da cidade  de Várzea Grande, casado e chefe de família, Sales aproveitou a oportunidade para externar seus agradecimentos aos órgãos competentes, bem como aos envolvidos que ajudaram em seu salvamento, algo que ele classifica como um verdadeiro milagre. “Estava muito no meio do mato, acho que se demorasse mais tempo eu teria morrido. Fiquei calmo na hora e pensava em uma maneira de sair do precipício. Depois já ouvi as vozes dos bombeiros que me tiram de lá. Até hoje só conheço uma história parecida com a minha, os demais que soube, todos morreram”, completou.

O diretor-geral, Paulo Rós, da Empresa Cuiabana de Saúde Pública – ECSP, que administra o HMC, ressalta que o motorista está reagindo bem ao tratamento. “Ele está sorridente e feliz ao lado da esposa, que o acompanha, e da família e amigos, que vem sempre visitá-lo. Aqui no HMC, ele recebe todos os cuidados necessários, estamos felizes com o êxito da sua recuperação”, finalizou.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação