The news is by your side.

Polícias Civis deflagram operação e cumprem quase 2 mil prisões em repressão a crimes contra o patrimônio

Estão em cumprimento mais de 2 mil mandados de prisão e 300 de busca e apreensão nas 27 unidades federativas

 

Polícias civis dos 26 estados e do Distrito Federal deflagraram nesta quarta-feira (17.11) a Operação Voleur, de repressão a crimes contra o patrimônio, em especial à subtração de aparelhos celulares.

A operação é coordenada pelo Conselho Nacional dos Chefes de Polícia (CONCPC) e integra ações policiais desencadeadas em todos os estados para reprimir crimes de roubo, furto, receptação, com cumprimento de prisões e de buscas e apreensões.

Em Mato Grosso, a Polícia Civil empregou um efetivo de 400 policiais no cumprimento de 89 prisões e 81 mandados de buscas e apreensões, resultado de investigações que vem sendo coordenadas por delegacias especializadas e municipais em diferentes regiões do estado. Em uma das investigações, a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande cumpriu 42 mandados de buscas, que resultaram na recuperação de dezenas de aparelhos celulares modelos smartphones furtados no município.

O delegado-geral da Polícia Civil de Mato Grosso, Mário Dermeval Aravéchia de Resende e vice-presidente do CONCPC, pontua que a operação sinaliza o esforço investigativo das polícias judiciárias estaduais na repressão aos crimes que impactam diretamente na sensação de segurança da população, como roubos e furtos.“O Conselhos dos Chefes de Polícia, por meio do Comitê Permanente de Análise e Repressão a crimes contra o patrimônio traçou essa operação com todos os estados para fazer frente a esses delitos e prestar contas sobre a repressão qualificada e resultados das investigações desenvolvidas pela Polícia Civil”, observa o delegado, que coordena a Operação Voleur.

A delegada Nadine Farias Anflor, presidente do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia, pontua que a ação desencadeada pelas Polícias Civis demonstra o compromisso das instituições nos estados em fazer frente aos crimes que causam insegurança ao cidadão, especialmente aqueles hediondos. “Desencadeamos essa operação para analisar e reprimir de forma qualificada, cada vez mais, os crimes de roubos, furtos, roubos e cargas e aqueles corriqueiros, que também tiram a paz do cidadão”, observou a chefe da Polícia Civil do Rio Grande do Sul.

O balanço final com os resultados da Operação Voleur será divulgado no final da tarde desta quarta-feira (17).

O nome Voleur é uma referência a quem pratica crimes contra o patrimônio, roubando ou furtando para si o que não lhe pertence.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação