The news is by your side.

Michelle Bolsonaro é alvo de preconceito religioso

 

A primeira-dama Michelle Bolsonaro se tornou alvo de preconceito religioso depois de aparecer orando nos corredores do Senado. Ela celebrava a aprovação do nome de André Mendonça, ex-advogado-geral da União, para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Um vídeo publicado nas redes sociais mostra a primeira-dama pulando de forma efusiva e recitando palavras que, de acordo com os evangélicos neopentecostais, são uma manifestação do Espírito Santo. Em seguida, Michelle abraça Mendonça e seus familiares, agradecendo a Deus pelo resultado da sabatina.

A manifestação de intolerância não passou despercebida pelo meio político. O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), repudiou os ataques sofridos pela primeira-dama. “É lamentável a quantidade postagens, a partir dessa notícia, cuspindo preconceito contra a fé dos outros”, criticou. “São os mesmos que vivem reclamando de discriminação. Minha solidariedade à primeira-dama. Que ela possa manifestar sempre sua fé com liberdade.”

Mendonça teve o aval do Senado por 47 votos a 32. Sua indicação era uma promessa de campanha do presidente da República, Jair Bolsonaro.

O futuro ministro ocupará a vaga de Marco Aurélio Mello, que se aposentou em 12 de julho de 2021. Mendonça poderá ficar por 26 anos no Supremo, até 2047.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação