The news is by your side.

Prefeito e diretor do HMC lamentam assassinato de técnica de enfermagem

Da Redação

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro e o diretor-geral da Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP), Paulo Rós, lamentaram o assassinato da técnica de enfermagem Franciele Robert da Silva, 33, vítima de feminicídio praticado pelo ex-marido, que não aceitava o fim do relacionamento e invadiu a casa onde ela e o pai foram alvos de golpes de faca no domingo (05), em Várzea Grande. O pai de Franciele sobreviveu ao atentado e está internado no Pronto Socorro de Várzea Grande. Ela deixa uma filha de 12 anos.

A profissional de saúde atuava no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) desde a sua inauguração, em 2019. “É com enorme tristeza e revolta que recebemos a notícia do falecimento de uma servidora pública do Município de Cuiabá em condições tão trágicas e perversas. Uma mãe de família que teve sua vida ceifada por conta de um ato de violência e machismo, algo que não pode ser tolerado e não toleramos de forma alguma!”, disse Pinheiro.

O gestor destacou que o HMC, local onde Franciele Robert da Silva trabalhava, conta com o Espaço de Acolhimento à Mulher Vítima de Violência Doméstica, que oferece assistência médica, psicológica, jurídica e social às mulheres violentadas e seus filhos. “Criamos este espaço justamente para tentar reduzir os casos de violência doméstica e mostrar às mulheres que elas não estão sozinhas. Infelizmente, mais uma vítima perde sua vida e o que nos resta é pedir a Deus o consolo aos corações dos familiares e clamar por justiça”.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação