The news is by your side.

Sindicatos rurais e cooperativas de MT denunciam quebra de acordo por parte de fornecedores de insumos

Da Redação

 

Sindicatos rurais e cooperativas de Mato Grosso enviaram uma carta aberta à autoridades exigindo que empresas comerciantes de defensivos agrícolas sigam contratos previamente estabelecidos, com fornecimento dos insumos nos preços já contratados. A decisão aconteceu após as entidades afirmarem que as empresas não estão cumprindo com o contrato de compra e venda, revisando preços já pactuados.

 

CARTA ABERTA DOS SINDICATOS DE PRODUTORES RURAIS
E DAS COOPERATIVAS DE PRODUÇÃO

À

* Sua Excelência Sra. Ministra Tereza Cristina
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA / Brasília – DF;
* Sua Excelência Sr. Governador do Estado do Mato Grosso Mauro Mendes;
* Aprosoja Brasil – Ilmo. Senhor Presidente Antônio Galvan;
* Aprosoja Mato Grosso – Ilmo. Senhor Presidente Fernando Cadore.

Exma. Sra. Ministra, Exmo. Governador do Estado de Mato Grosso e Ilustres Presidentes da Aprosoja,

No ensejo de cumprimentá-los, as Cooperativas de Produção e Sindicatos Rurais signatários desta carta vêm, respeitosamente, trazer ao conhecimento de Vossas Excelências situação vivida pelos produtores rurais de pelo menos 09 municípios da região médio norte, quais sejam, de Sorriso/MT – Sinop/MT – Lucas do Rio Verde/MT – Nova Mutum/MT – Ipiranga do Norte/MT – Nova Ubiratã/MT – Vera/MT – Tapurah/MT – Cláudia/MT.

Apenas nos 09 municípios citados, concentram-se mais de 2.494.000 ha
(dois milhões e quatrocentos e noventa e quatro mil hectares) de plantio de Soja, com produção aproximada de 9 Milhões de toneladas, e cerca de 2.000.000 ha (dois milhões de hectares) de plantio de Milho, com produção total estimada em quase 13 Milhões de toneladas (dados do IMEA/MT), muito embora acreditemos que em cenário similar estejam produtores de grande parte do Mato Grosso e de outras regiões do país.

Como a Senhora Ministra tem acompanhado de forma muito diligente,
há um contexto global de escassez de produtos, tanto tecnológicos quanto de commodities agrícolas e minerais. Todavia, também é de amplo conhecimento que nesses momentos, infelizmente, há agentes econômicos que se apropriam da narrativa para adotar condutas oportunistas, especialmente no intuito de revisar preços já pactuados.

Noutra senda, fornecedores de insumos que tendo dificuldades para
atender aos pedidos comercializados e muitas vezes inclusive pagos
antecipadamente, não têm oferecido produtos substitutos para mitigar os impactos da escassez para os produtores, descumprindo o contrato de compra e venda e gerando uma série de prejuízos que podem atingir até mesmo as safras futuras. 

Nessa ótica, nos referimos principalmente – mas não somente – aos
fornecedores de Atrasina, Glifosato, Imidacloprida e também de Diquat, molécula que se tornou a única opção do produtor após o banimento do Paraquat, em decisão questionável da Anvisa, que poderia ser reconsiderada devido aos impactos que vem causando.

A situação aqui narrada é vivenciada neste exato momento tanto pelas
Cooperativas de Produção abaixo assinadas, como por muitos Produtores Rurais, que apesar de contribuírem de forma direta para a produção de alimentos, garantindo Segurança Alimentar da nação, encontram-se à mercê dos Fornecedores de Insumo que se escusam de cumprirem com a entrega dos produtos previamente contratados.

Diante deste contexto, sugerimos uma atuação conjunta entre o
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA e demais órgãos técnicos e fiscalizadores, para que sejam apuradas as condutas apontadas, a fim de que os respectivos fornecedores de Insumos se responsabilizem pela entrega efetiva dos produtos, nas condições, prazo e forma estabelecidos com cada produtor e/ou cooperativa.

Certos de Vossa sensibilidade e senso de urgência, renovamos nossos
protestos de elevada estima e distinta consideração, e colocamo-nos à disposição para acrescentar detalhes, fornecer evidências e em ambiente de sigilo e momento oportuno, apontar as empresas para as quais requeremos célere apuração da conduta comercial.

Cordialmente,
Cooperativas: Sindicatos Rurais:
COANORTE SINDICATO RURAL SORRISO/MT
COOAMI SINDICATO RURAL SINOP/MT
COAP SINDICATO RURAL LUCAS DO RIO VERDE/MT
COACEN SINDICATO RURAL NOVA UBIRATÃ/MT
COAVIL SINDICATO RURAL IPIRANGA DO NORTE/MT
CMT SINDICATO RURAL TAPURAH/MT
SINDICATO RURAL VERA/MT
SINDICATO RURAL NOVA MUTUM/MT
SINDICATO RURAL DE CLÁUDIA/MT

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação