The news is by your side.

Religiões na China terão de “se adaptar ao socialismo”

O país é acusado de promover perseguições contra cristãos e muçulmanos

 

As religiões na China terão de “se adaptar ao socialismo”, afirmou o ditador Xi Jinping. A fala ocorreu durante uma conferência nacional sobre trabalhos relacionados a assuntos religiosos no começo do mês em Pequim.

De acordo com a agência de notícias estatal Xinhua, Xi afirmou que “as religiões na China têm sido cada vez mais chinesas na orientação”. Ele declarou que “os grupos religiosos têm aumentado seu reconhecimento da pátria, da nação chinesa, da cultura chinesa, do Partido Comunista Chinês e do socialismo com características chinesas”.

Entretanto, na opinião do ditador, “esforços são necessários para reunir e orientar melhor os crentes religiosos a trabalhar em conjunto com o público para desenvolver a China como um grande país socialista moderno em todos os aspectos e realizar o sonho chinês de revitalização nacional”.

Em 2020, diversos veículos de imprensa relataram o aumento da repressão do Partido Comunista Chinês contra o cristianismo. Em julho do ano passado, agentes estatais invadiram casas nas províncias de Hebei, Anhui, Jiangsu e Zhejiang. Na ocasião, retiraram imagens de Jesus e as substituíram por fotos de Mao Tsé-Tung e Xi Jinping.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação