The news is by your side.

Defesa de Popó diz que operação foi “midiática por questões políticas”

Da Redação

 

A defesa do empresário Marcos Polo Pinheiro, popularmente conhecido como Popó, patrocinada pelo advogado Francisco Faiad, publicou uma nota na manhã desta terça-feira (14) afirmando que a Operação Fake News, deflagrada pela Polícia Judiciária Civil (PJC), foi midiática em decorrência de questões políticas.

“Preferiu-se a operação midiática, obviamente por questões políticas. A defesa aguardará as apurações mas desde já garante a inocência de Marco Polo, sendo que os excessos serão objeto de representações conforme prevê a lei”, afirmou Faiad.

A residência de Popó foi alvo de um mandado de busca e apreensão nesta manhã. Foram apreendidos aparelhos celulares e tablets utilizados em pesquisa pela sua empresa.

A operação já havia sido vazada pela imprensa na última segunda-feira (13). Se adiantando contra a possível operação, Popó se apresentou à PJC ainda na segunda, espontaneamente, para esclarecer os fatos sobre a divulgação de supostas notícias falsas envolvendo o governador Mauro Mendes (DEM) e a primeira-dama Virginia Mendes.

Popó negou as acusações e se colocou à disposição do Ministério Público Estadual (MPMT) e da Justiça para possíveis esclarecimentos.

Mesmo se apresentando espontaneamente e colocando objetos pessoais, como celulares e computados à disposição, a operação foi deflagrada nesta terça. Segundo a defesa, nenhum dos requerimentos para a realização de uma oitiva, sem a necessidade da operação, teve um retorno da PJC.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação