The news is by your side.

Vitória de Boric no Chile faz Bolsa de Santiago cair 6% e peso desvalorizar

A vitória do candidato esquerdista Gabriel Boric não caiu bem aos olhos do mercado. Depois dos primeiros alertas de Londres, onde mineradoras como a Glencore (-2,76%) ou a Anglo American (-2,60%) iniciaram e encerraram a sessão no vermelho, o temor dos investidores se confirmou após a abertura da Bolsa de Santiago.

O peso teve desvalorização de até 3% no início dos negócios em Santiago. Por volta das 12h35 (horário local e de Brasília), a moeda chilena estava sendo negociada com baixa de 1,9%. O ETF iShares MSCI Chile caia 9,4% neste horário. O rendimento dos títulos em dólar aumentou. No período que antecedeu as eleições, o peso chileno foi uma das moedas de pior desempenho do mundo, com queda de 16% em 2021, desvalorização inferior apenas à da lira turca e do peso argentino, em meio ao cenário de polarização eleitoral.

Por fim, a vitória do candidato de esquerda, que tomará posse em 11 de março de 2022, pressagia uma grande mudança no que diz respeito à política econômica dos últimos anos, pois aumentará o papel do Estado.

“Os preços de mercado não haviam incorporado para que o Boric pudesse ganhar com uma margem tão ampla e uma participação tão alta”, disse Hugo Osorio, vice-diretor de estratégia de investimentos da Falcom Asset Gestión, à Bloomberg.

Boric, ex-líder estudantil e atualmente deputado na Câmara dos Deputados, obteve 56% dos votos, contra 44% de Kast no segundo turno das eleições presidenciais. Algumas pesquisas não oficiais antes da votação previram que os dois candidatos seriam mais equilibrados. Os chilenos se reuniram para votar no domingo, com mais de 8,3 milhões de votos expressos, o maior comparecimento desde o retorno da democracia em 1990.

 

Fonte: Bloomberg

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação