The news is by your side.

Deputados denunciam irregularidades no processo seletivo da Saúde

Da Redação

Parlamentares apoiaram a denúncia trazida pelo deputado estadual Lúdio Cabral (PT) sobre irregularidades no processo seletivo da Secretaria de Estado de Saúde, que visa contratar quase 3 mil servidores apenas por análise de currículo, sem qualquer tipo de prova. Outra irregularidade seria em relação aos salários. A SES quer pagar aos contratados valores inferiores aos servidores de carreira, promovendo assim, a ilegalidade de pessoas desempenhando as mesmas funções com salários diferentes.

“Já tínhamos feito a denúncia contra a Secretaria quando eles não deram publicidade ao processo seletivo para o Hospital Metropolitano e Hospital Regional de Rondonópolis. Somente no outro seletivo, teve  7 mil inscritos para vagas no Hospital Metropolitano. O prazo de análise de currículo são de 5 dias. A SES terá que analisar mais de 1,2 mil currículos por dia, apenas neste hospital”, apontou.

Além disso, o deputado diz que o Estado desrespeitou o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado entre o Governo do Estado e o Ministério Público de que enquanto a SES não realizar concurso público, deve promover processo seletivo por meio de provas e títulos e não com análise de currículo.

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) concordou com os apontamentos e disse que “há um flagrante desrespeito a legislação em relação a esse edital”.

A deputada Janaína Riva (MDB) e deputado Paulo Araújo (PP) desconfiam de uso da máquina pública para favorecer a campanha eleitoral do secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo (DEM), que deve sair da SES em março para se candidatar a deputado estadual.

“Fico preocupada com essa pauta para a contratação de quase 3 mil servidores em concurso público e novamente por meio de análise de currículo. É realmente preocupante que isso ocorra em ano eleitoral, quero referendar a fala dos deputados Lúdio Cabral (PT) e Paulo Araújo (PP) contrários a esse processo. É uma preocupação de todos nós deputados”, comentou a deputada Janaína Riva.

Servidor de carreira da SES, o deputado Paulo Araújo também vê com estranheza a realização do processo seletivo para contratação de um contingente de pessoas sem ao menos que seja por meio de provas.

“É estranha uma contratação grande dessa com o gestor da pasta candidato declarado e teve 3 anos para realizar concurso público e decidiu optar por um processo seletivo simplicado  por meio de análise de currículo em ano eleitoral”.

 

 

 

 

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação