The news is by your side.

Origem, história e curiosidades das 7 maravilhas do mundo moderno

Da Redação

De todas as maravilhas que povoaram o mundo antigo, apenas as pirâmides permanecem de pé para que possamos nos deliciar com sua magnificência, típica da passagem do tempo. Felizmente, temos as maravilhas do mundo moderno para contemplar a nosso bel-prazer e cuidar delas com a ideia de que aqueles que vierem depois de nós também possam descobri-las.

Em 2007, foi realizado um concurso público, organizado pela empresa privada New Open World Corporation, com o qual todos, por SMS ou pela Internet, podiam escolher quais candidatos consideravam merecedores de ir à final. Após um período de votação, até 77 finalistas foram anunciados, dos quais sete foram finalmente escolhidos.

1. Cristo Redentor (Rio de Janeiro, Brasil)

A estátua ‘art déco’ do Cristo do Corcovado, tem 38 metros de altura, tornando-se a terceira maior estátua de Jesus Cristo do mundo. Embora a ideia de construir a estátua remonte a 1858, com o padre católico Pedro María Boss e a princesa Isabel do Brasil, ela não se concretizou até 1921, e mesmo assim o mirante do morro do Corcovado era uma das atrações turísticas do Rio.

Fonte: iStock.

A construção é feita de concreto armado, feita pelo escultor francês Paul Landowski (embora o rosto seja do romeno Gheorghe Leonida). A obra foi descrita na sua época como ‘hercúlea’, pois foi construída sobre uma base em que os andaimes mal cabiam e (surpreendente para a época) não houve acidentes fatais durante sua construção. Como os outros sete, é um Patrimônio Mundial da UNESCO. Em 2010, uma restauração maciça da estátua começou.

2. Machu Picchu (Cuzco, Peru)

Algo como ‘velha montanha’ em quéchua, é considerada uma obra-prima da arquitetura e engenharia (construída por volta de 1450 e localizada na Cordilheira Oriental do sul do Peru). As suas características paisagísticas peculiares e o mistério que a acompanha fizeram dela por direito próprio um dos destinos turísticos mais famosos do planeta.

Machu Picchu, Peru.

A zona arqueológica é acessível, seja pelas estradas pós-incas que a alcançam, ou pela rodovia Hiram Bingham.

3. Grande Muralha (China)

Construído (e reconstruído) entre os séculos V e XVI aC, para proteger a fronteira norte do império chinês dos ataques de nômades da Mongólia e da Manchúria. Estima-se que tenha cerca de 21.200 km de comprimento, embora, apesar das lendas urbanas, não possa ser visto de Marte. Isso porque tem apenas alguns metros de largura e a mesma cor do terreno ao seu redor.

4. Petra (Jordânia)

Em um vale estreito, a leste do vale de Arava, que se estende do Mar Morto ao Golfo de Aqaba, fica Petra, fundada no final do século VIII aC. C. pelos edomitas. Construída em grande parte na própria rocha (como se fosse uma escultura), tem um abastecimento de água, o que a tornou uma parada natural para várias rotas de caravanas que ligam Egito, Síria e Arábia ao sul do Mar Mediterrâneo.

Atualmente, a cidade de Petra é a cidade que gera os maiores benefícios turísticos na Jordânia, embora o turismo na área seja relativamente recente e desenvolvido após a Primeira Guerra Mundial.

5. Taj Mahal (Agra, Índia)

O imponente Taj Mahal tem uma história de amor muito bonita por trás de sua construção: erguido entre 1631 e 1654, é na verdade um monumento funerário que o imperador muçulmano Shah Jahan quis construir em homenagem à sua bela esposa, Mumtaz Mahal , quando ela morreu no entrega de seu décimo quarto filho.

Descrito pelo poeta Rabindranath Tagore como “Uma lágrima na bochecha do tempo”, atrai de sete a oito milhões de visitantes por ano.

O poeta Rabindranath Tagore descreveu o Taj Mahal como “uma lágrima na bochecha do tempo”

6. Coliseu em Roma (Itália)

Construído no século I d.C., é um anfiteatro pertencente à época do Império Romano e que nos seus primórdios era conhecido como tal: Anfiteatro Flaviano. Construído com blocos de travertino, concreto, madeira, tijolo, mármore ou estuque, tinha capacidade para cerca de 65.000 espectadores distribuídos em 80 arquibancadas. O Imperador e sua família, assim como os senadores, logicamente, eram os mais próximos da arena. Espetáculos públicos e lutas de gladiadores aconteciam lá. Começou a ser erguido sob o mandato do imperador Vespasiano.

7. Chichén Itzá (México)

Finalmente, um dos principais sítios arqueológicos da Península de Yucatán, no México. Vestígio fundamental da civilização maia, foi um centro cerimonial que sofreu diversas influências de todos os povos que o ocuparam e que o promoveram desde a sua fundação. Com influência tolteca, o Deus que preside o local é Kukulkan ou Quetzalcoatl.

Foi fundada por volta de 250 dC, e seus edifícios são dominados pela Pirâmide de Kukulcán: uma pirâmide de quatro lados que fica em uma plataforma. Cada lado tem uma escada com um total de 365 degraus (um para cada dia do ano). Na base da escada norte estão duas cabeças de serpentes emplumadas (efígies de Quetzalcoatl). As sombras das bordas das plataformas sobrepostas são projetadas nas balaustradas ao redor do dia equinocial, configurando assim a imagem de uma cobra que parece se mover com o passar das horas.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação