The news is by your side.

Napa Valley Water Hole: Maravilha natural ou artificial?

 

Qualquer um diria que essa imagem é falsa. Como se fosse um buraco negro espacial que surge de repente no meio de um grande reservatório, o Glory Hole do Lago Berryessa, no topo da Barragem Monticello localizada no Vale de Napa, na Califórnia, nos deixa atônitos diante de uma das mais impressionantes maravilhas naturais. Como é possível que a física produza efeitos geométricos tão perfeitos.

De acordo com um artigo recente publicado no Science Alert, este fenômeno ocorre quando há muita água na estação chuvosa. O excesso de água produz um redemoinho que engole tudo em seu caminho. Como este Glory Hole realmente é formado? A resposta não é natural nem sobrenatural, mas meramente artificial.

Lake Berryessa water inches toward Glory Hole spillway

“Um vertedouro é uma estrutura hidráulica para descarregar vazões de grandes inundações e pode estar localizado dentro ou fora da barragem”, explicam. Isso é exatamente o que é esse buraco no Lago Berryessa, um buraco artificial construído pelo homem para evitar que o excesso de água inunde as proximidades da barragem e assim controlar o fluxo. Na verdade, poderíamos dizer que funciona como um dreno.

O Napa Valley Glory Hole foi construído por engenheiros na década de 1950, quando lhes ocorreu que, em vez de descarregar a água em um riacho, era muito mais fácil instalar um grande dreno que despejaria centenas de galões por segundo e, assim, reduziria a pressão hidráulica do reservatório em tempos de alta vazão.

Em inglês, a estrutura é conhecida pelo nome de ‘bell-mouth’ (“boca de sino” em sua tradução literal e que rima com ‘hell-mouth’, “boca do inferno”). O apelido surgiu porque ela é uma das maiores do mundo, formando um colossal redemoinho que reúne milhares de visitantes por ano.

“A cada segundo, o orifício de drenagem de 22 metros de largura e 75 metros de comprimento é capaz de engolir cerca de 1.360 metros cúbicos de água”, relatam na revista científica. “Depois de cair na entrada do buraco, a água chega a um cano mais estreito que deságua no lago Putah Creek, nas proximidades, depois de mais de meio quilômetro de cascata horizontal”.

Um único acidente humano

Quando foi construído, pensava-se que seria usado apenas uma vez a cada cinquenta anos, no máximo. No entanto, desde 2000 já foi aberto três vezes.

Um dos fatos curiosos é que em 1997 houve um acidente em que uma mulher morreu após mergulhar nas águas do reservatório. Os serviços de emergência tentaram resgatá-la, mas não conseguiram e seu corpo foi encontrado várias horas depois nas proximidades. Desde então, o reservatório foi fortemente cercado.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação