The news is by your side.

TRE-MT arquiva ação de infidelidade partidária contra deputado

Da Redação

Sem recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a ação movida ajuizada pelo médico Emílio Populo contra o deputado estadual Gilberto Cattani (PL) por infidelidade partidária foi arquivada definitivamente pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), na segunda-feira (18).

O médico que teve 5.265 votos a menos do que Cattani nas eleições de 2018, se sentiu prejudicado e ajuizou uma Ação Declaratória de Perda de Mandato Eletivo poucos dias após o falecimento do deputado estadual Silvio Fávero, candidato eleito pelo PSL, e que morreu devido às complicações da Covid-19 em março de 2021.

De acordo com o médico, Cattani teria cometido infidelidade partidária por ter migrado para o PRTB em 2020 para concorrer ao cargo de primeiro suplente de senador na eleição suplementar.

Em outubro de 2021, o próprio Pleno do TRE julgou extinto por unanimidade a ação que buscava a cassação do mandato por infidelidade partidária.

“O deputado Gilberto Cattani estava sofrendo grave discriminação pessoal dentro de membros do diretório do PSL de Nova Mutum e precisou deixar o partido, retornando para ele em fevereiro de 2021, cerca de um mês antes da morte de Silvio Favero”, explicou o advogado Daniel Moura, que patrocina a defesa do bolsonarista.

Com a ação arquivada, o TRE, por unanimidade confirma a legitimidade de Cattani como deputado estadual por Mato Grosso.

 

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação