The news is by your side.

Juiz Federal determina arquivamento e exclusão de Antonio Joaquim de inquérito policial

Da Redação

O juiz da 5ª Vara Federal de Mato Grosso, Jeferson Schneider, acolheu o parecer do Ministério Público Federal (MPF) e determinou o arquivamento do inquérito policial relacionado ao conselheiro do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) Antonio Joaquim e sua esposa, Tânia Isabel Moschini Moraes, pela suposta prática de lavagem de dinheiro.

Em sua decisão, o magistrado determinou ainda a exclusão do conselheiro do polo passivo da investigação. O inquérito apurava suposta irregularidade na venda de uma fazenda de Antonio Joaquim, em 2012.

“O conjunto probatório colhido no âmbito deste apuratório efetivamente não autoriza, por ora, a propositura da ação penal”, sustentou o juiz.

O Ministério Público Federal (MPF), por meio da promotora Valéria Siqueira, pediu o arquivamento da investigação sobre o conselheiro em 28 de abril. À época, o conselheiro concedeu entrevista coletiva na qual afirmou que a acusação mudou sua vida.

“Me transformaram em um bandido. Eu fui julgado e condenado centenas de vezes. Não se pode permitir que fique esse tempo todo com uma espada no pescoço da gente. Deixando a gente ter a reputação estraçalhada”, declarou, se referindo aos cinco anos de investigação sem que sequer tenha sido oferecida denúncia.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação