The news is by your side.

MT participará de projeto para produção sem desmatamento financiado pelos EUA

Da Redação

Apoiar uma agricultura de baixo carbono e livre de desmatamento no Brasil, Colômbia e Peru são os principais objetivos da aliança liderada pela Fundação Solidaridad, a organização responsável por implementar o projeto Amazônia Connect em parceria com a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), o Earth Innovation Institute, a National Wildlife Federation e a University of Wisconsin Madison. O investimento é de US$ 12 milhões e a Casa Branca fez o anúncio durante a IX Cúpula das Américas, realizada em Los Angeles (EUA).

Além disso, a iniciativa busca promover a conexão entre produtores (oferta) e compradores (demanda), aprimorando a rastreabilidade nas cadeias agropecuárias e a competitividade nos mercados internacionais.

A ação está alinhada ao plano dos Estados Unidos de conservar as florestas como sumidouros críticos de carbono, ou seja, como reservatórios que capturam carbono da atmosfera, por meio da promoção de cadeias produtivas livres de desmatamento e uma agricultura de baixo carbono.

O projeto envolverá diferentes atores: produtores e produtoras rurais, que receberão assistência técnica; empresas, que terão disponíveis ferramentas para monitoramento e rastreabilidade de seus produtos; setor financeiro, responsável por atrair investimentos e incentivos em prol de uma agricultura de baixo carbono, e a academia, que converterá os dados gerados em aprendizado, com vistas a reduzir o desmatamento e aumentar a conservação da biodiversidade.

As atividades serão realizadas nos estados do Pará e Mato Grosso (Brasil), Meta e Caquetá (Colômbia) e San Martín e Ucayali (Peru). Essas regiões possuem alta biodiversidade, e com o Amazônia Connect os produtores terão a oportunidade de colocar em prática técnicas que beneficiem a conservação florestal e melhorem sua produtividade, sob a abordagem de uma agricultura de baixo carbono. No total, espera-se atingir quase 215 mil hectares e impactar 5,4 mil produtores.

“Vivemos um momento histórico, no qual os investimentos para a proteção da Amazônia, por meio da parceria com produtores rurais e empresas, podem fazer uma grande diferença na preservação do bioma e na mitigação dos efeitos das mudanças climáticas”, afirma o diretor da Solidaridad no Brasil, Rodrigo Castro.

O Amazônia Connect leva reforço para as ações que vêm sendo realizadas pela Fundação Solidaridad em prol do desenvolvimento sustentável e da bioeconomia no Pará. Desde 2015, a organização desenvolve o Programa Amazônia, responsável por levar sustentabilidade e inclusão socioeconômica a produtores familiares da região da Transamazônica.

 
Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação