The news is by your side.

TCU acata pedido do Ministério Público para apurar denúncias na Caixa

Da Redação

O Tribunal de Contas da União (TCU) acatou um pedido feito pelo subprocurador do Ministério Público Lucas Rocha Furtado, para apurar denúncias de assédio sexual contra Pedro Guimarães, ex-presidente da Caixa Econômica Federal.

“Quando praticado no âmbito da administração pública, o assédio gera a percepção, na sociedade, de que as instituições estatais não se pautam em valores morais nem são conduzidas segundo elevados padrões de conduta”, diz Furtado em sua representação.

Pedro Guimarães nega as acusações e afirma que deixou o cargo no banco a fim de evitar que a instituição ou o governo sejam alvos de rancor em um ano eleitoral.

A partir de uma avalanche de notícias e informações equivocadas, minha esposa, meus dois filhos, meu casamento de 18 anos e eu fomos atingidos por diversas acusações feitas antes que se possa contrapor um mínimo de argumentos de defesa. É uma situação cruel, injusta, desigual e que será corrigida na hora certa com a força da verdade. As acusações noticiadas não são verdadeiras e não refletem a minha postura profissional nem pessoal. Todavia, não posso prejudicar a instituição ou o governo sendo um alvo para o rancor político em um ano eleitoral”, disse Guimarães em sua carta de demissão.

 

 

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação