The news is by your side.

Regulamentação de repasses do Governo aos times da Série D começa a sair do papel

Da Redação

Uma reunião realizada nesta segunda-feira (10), na sede da Secretaria de Cultura, Esportes e Lazer (SECEL), deu início às tratativas para regulamentação da lei 11.150/2021, no que diz respeito aos repasses do Governo aos times que vão representar Mato Grosso na Série D do Campeonato Brasileiro de futebol deste ano. Eles vão repartir R$ 1 milhão do Programa Mato Grosso na Série A.

Serão beneficiados o Ação, de Santo Antônio de Leverger, campeão do campeonato estadual de 2021, e o vice, Operário, de Várzea Grande. Seus diretores receberam, hoje, a lista de documentos e certidões que exigidas pela Secel, gestora do programa e responsável pela regulamentação da lei.

Quando aprovada em novembro de 2021, a legislação, de autoria do Executivo, previa apenas repasses aos times da Série A (R$ 3,5 milhões) e da Série B (R$ 1 milhão) da competição. Como Mato Grosso não tem equipes na segunda categoria, o deputado estadual Wilson Santos (PSDB) entendeu que os recursos deveriam ser usados para estruturar as demais equipes do campeonato e fez uma emenda à lei garantindo os repasses ao Ação e ao Operário.

“Não era justo que apenas o Cuiabá (Série A) fosse beneficiado e os outros times sem ficassem de fora. Fiz a emenda, conversei com o governador Mauro Mendes (DEM), articulei a aprovação junto aos demais deputados e conseguimos atender todas as equipes”, explicou o deputado.

Wilson lembrou que o União, de Rondonópolis, e o Nova Mutum, que vão disputar a Série C, não serão beneficiadas este ano porque conquistaram o acesso antes da sanção da lei.

“Como a Lei é de 3 de novembro de 2020 e estas equipes conquistaram acesso à Série C no final de setembro, antes da sanção da lei, elas não podem ser contempladas este ano. Isso porque não deram a contrapartida do programa que é a publicidade da marca do Governo nos uniformes e no painel de entrevistas. Em 2022, a Série D começa em abril. Assim, o Ação e Operário terão tempo suficiente para organizarem a papelada e se tornarem aptos ao benefício”, explicou.

Os times precisam apresentar à Secel certidões e outros documentos necessários para acesso aos recursos do programa. O prazo para avaliação é de 60 dias.

O secretário de esportes, Beto Dois a Um, disse que o objetivo do programa é difundir as potencialidades turísticas, econômicas e ambientais de Mato Grosso. Levar o nome do estado aos quatro cantos do país valendo-se da visibilidade do futebol. Ele garantiu que a Secel já estuda um convênio com a FMF para incentivo ao futebol em todas as suas categorias.

“Queremos estruturar o esporte desde a base até a categoria profissional. Já estamos trabalhando um Termo de Ajustamento de Gestão envolvendo o Governo, a FMF, Mistério Público e Tribunal de Contas para dar prosseguimento à esta parceria. Estamos felizes em contribuir, incialmente, com as equipes que vão disputar o Brasileiro. Isso representa um grande passo da gestão Mauro Mendes”, garantiu.

Participaram da reunião o secretário Beto Dois a Um, o deputado Wilson Santos, representantes das equipes e o diretor executivo da Federação Mato-grossense de Futebol (FMF), Humberto Frederico.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação