The news is by your side.

Município sofre com esgoto correndo a céu aberto e contaminando rio que abastece a cidade

Da Redação

O mau cheiro e o esgoto a céu aberto pelas ruas do município de Porto Esperidião, que escorrem ao rio Jauru será o tema da audiência do vereador Ronaldo Mandela (Republicanos) com o Ministério Público Estadual na segunda-feira (07), às 16 horas.

O problema é o impasse sobre quem é o responsável para resolver o problema da rede de esgoto transbordando pelas ruas da cidade. A população reclama aos vereadores. A concessionária culpa a própria população e a Vigilância Sanitária municipal. A prefeitura diz que não é com ela e não cobra à concessionária Águas de Porto Esperidião.

“É uma situação complicada, porque se arrasta desde 2014, a gente tem cobrado e nenhuma solução. Vamos propor uma audiência publica com a concessionária, prefeitura, vigilância e chamar a população. Alguma providência deve ser tomada”, disse o vereador.

Mandela aponta sobre o risco à saúde da população. O esgoto corre para o rio Jauru, o mesmo que 700 metros abaixo fica o ponto de captação da água para as residências e comércios.

Outro questionamento do parlamentar, que também segue sem resposta, é com relação ao cumprimento do contrato de concessão pela empresa. Assinado em 2012, estava previsto que em 2021 mais de 80% da cidade teria rede de esgoto.

“A rede não está pronta, não sabemos se o contrato está sendo cumprindo, a prefeitura não cobra”, reclamou.

Por meio de nota, a empresa Águas de Porto Esperidião informou que está em contato com o vereador Mandela e demais parlamentares e Vigilância Sanitária, para tratar do assunto e das responsabilidades da Prefeitura Municipal e concessionária. A concessionária destaca ainda que está cumprindo com as metas do contrato de concessão com o município e realiza constantes melhorias nos serviços de água esgoto prestados à população.

A empresa reforça que é importante utilizar o serviço de esgoto de forma correta para que o sistema funcione com eficiência. O uso inadequado da rede de esgoto pode gerar problemas ao meio ambiente e aos próprios moradores.

“Muitos extravasamentos em vias públicas e refluxos de esgoto no interior dos imóveis são ocasionados pelo lançamento indevido de água da chuva e materiais sólidos nas tubulações e, em dias chuvosos essas ocorrências aumentam”.

Ações simples da população ajudam a evitar o entupimento e danos na rede de esgoto. Uma dica importante é o descarte correto de resíduos sólidos, como garrafas, latas, plásticos, entulhos de construção, madeira, óleos de fritura e restos de comida, encontrados com muita frequência dentro das redes coletoras. Os materiais sólidos entopem a rede e jogam o esgoto para superfície, aumentando os riscos para a saúde pública. Um item indispensável nos imóveis é a caixa de gordura, que retém os resíduos descartados de pias e ralos, evitando que escoem livremente pela rede de esgoto.

A concessionária ressalta que está em constantes tratativas com o Executivo Municipal, para acompanhamento e aprimoramento dos serviços públicos concedidos. A empresa continua aberta ao diálogo com as autoridades municipais e sociedade e, se mantém à disposição de todos para prestar quaisquer esclarecimentos.

 

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação