The news is by your side.

Italianos são multados por desperdiçar água com suprimentos racionados em meio à seca

The Guardian

 

Pessoas que vivem em algumas cidades do norte da Itália enfrentam multas por desperdiçar água, já que os prefeitos racionam os suprimentos em meio a uma seca severa.

A Itália teve um dos invernos mais secos dos últimos 65 anos, com chuvas 80% abaixo da média sazonal. A situação foi mais aguda nas regiões do norte, onde algumas áreas foram privadas de chuvas significativas por três meses ou mais. O Po, o rio mais longo do país, está em seu nível mais baixo registrado no inverno desde 1972.

Prefeitos de cidades em regiões como Piemonte, Ligúria, Lombardia e Trentino introduziram medidas de racionamento de água, que vão desde o desligamento de fontes e restrições noturnas à água da torneira até a proibição do uso de água para jardins e loteamentos, para lavar carros e encher piscinas.

As multas de até 500 euros estão em vigor para aqueles considerados desperdiçadores de suprimentos.

“Nunca me lembro de uma situação desse tipo no inverno. Não chove desde 8 de dezembro”, disse Francesco Pietrasanta, prefeito de Quarona, uma cidade no Piemonte. “Há problemas com poços de água, algumas áreas tiveram que ser abastecidas por caixas d’água. A regra é usar água apenas por necessidade real, como por motivos de higiene ou alimentação.”

Em Bajardo, uma aldeia na Ligúria, o abastecimento de água das torneiras foi desligado entre as 20h e as 8h. Seu prefeito, Francesco Laura, disse que não tinha escolha. “As nascentes secaram”, disse ele ao La Stampa. “A água da serra já não vem, e na aldeia o pouco que sai das torneiras é usado para cozinhar e lavar”. Laura disse que houve pouca ou nenhuma chuva na vila desde outubro de 2020.

A seca de inverno seguiu uma onda de calor intensa e prolongada em toda a Itália no verão passado. Em agosto, acredita-se que Siracusa, na Sicília, tenha quebrado o recorde europeu de temperatura mais alta quando registrou um valor de 48,8°C . A queda de neve também esteve abaixo da média neste inverno.

“Não neva e não chove há seis meses”, disse Massimo Niero, prefeito de Cisano sul Neva, na Ligúria, ao jornal local Il Vostro Giornale. “Haverá problemas no verão.”

A previsão é de chuva no norte e no resto da Itália a partir de quarta-feira, embora Pietrasanta tenha dito que precisaria ser significativa para resolver a escassez de água.

“Podemos ter um pouco de chuva na sexta-feira, mas não tenho certeza se será suficiente”, disse ele. “Essa situação deve nos fazer pensar em mudar a política para gerenciar a água de uma maneira diferente, especialmente com as mudanças climáticas”.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação