The news is by your side.

Contas da gestão de Mauro Mendes são aprovadas e dois deputados foram contra

Da Redação

Com cinco votos contrários e 16 favoráveis, as contas de gestão do governador Mauro Mendes (DEM) referentes ao ano de 2019 foram aprovadas pela Assembleia Legislativa durante sessão ordinária realizada na noite desta quarta-feira (05).

O deputado estadual Valdir Barranco (PT) argumentou que o Governo do Estado não cumpriu a constituição e repassou apenas 21,5% para a área, fazendo manobra contábil de acrescentar o Imposto de Renda para que os percentuais fossem alterados.

Ele também criticou renúncia fiscal de 29% da arrecadação do ICMS para empresas não pagarem impostos. “A média nacional é de 16,8% e Mato Grosso é o terceiro do país com maior renúncia fiscal”, disse Barranco.

O também deputado petista Lúdio Cabral (PT) votou contrária a aprovação das contas do estado. Ele argumentou que o Estado deixou de aplicar R$ 600 milhões na educação básica, além de não aplicar 2,5% na Unemat, sendo que foram aplicados 2,26%.

Os deputados Xuxu Dalmolin (PSC) e Wilson Santos (PSDB) defenderam  à aprovação das contas de Mauro Mendes.

“O ano de 2019 foi difícil para todos e estamos longe dos portos e o que se chama de renúncia fiscal é um incentivo para as empresas sair de outros estados para produzir riquezas e gerar empregos em Mato Grosso, como foi feito com etanol do milho”, argumentou Xuxu.

O deputado Wilson Santos comentou que o TCE apontou erros sim nas contas do Estado, mas pelo conjunto da obra, indicou pela aprovação. “É pertinente que as correções sejam realizadas, as mesmas apontadas pelos deputados e que as contas de 2020 sejam melhores”, comentou.

O Tribunal de Contas do Estado aprovou por unanimidade as contas de Mauro Mendes de 2019. No entanto, foram feitos apontamentos e recomendações, tal como o aperfeiçoamento do sistema financeiro do Estado.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação