The news is by your side.

Pirataria: AliExpress entra na mira do governo dos EUA

Da Redação

 

A AliExpress, loja chinesa de comércio on-line, entrou na lista de “mercado notório para falsificação e pirataria” do governo dos Estados Unidos. O documento é divulgado anualmente.

É a primeira vez que a AliExpress é incluída na lista de Mercados com Má Fama. A lista atualmente é composta por 77 empresas, sendo 42 de comércio on-line e 35 de comércio físico. Segundo o governo americano, o documento inclui nomes que facilitam a falsificação de marcas registradas ou pirataria de direitos autorais. O objetivo é conscientizar o público e ajudar a fiscalização do comércio.

Segundo o relatório, a China ainda é uma das maiores fontes de produtos falsificados no mundo, e que esses produtos, incluindo aqueles com origem em Hong Kong, somaram 83% do valor de produtos apreendidos nos EUA em 2020.

O Alibaba, proprietário do AliExpress, já consta com seu nome na lista.  Além do AliExpress, outro gigante da China aparece na lista, o WeChat, principal aplicativo de mensagens do país.

O AliExpress informou que mantém “uma rigorosa ‘política de vendas’ que, entre outras regras, proíbe totalmente o desrespeito à propriedade intelectual de marcas”. A empresa afirmou que “qualquer vendedor que fira esta política será punido e pode ser excluído da plataforma”.

 

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação