The news is by your side.

Arábia Saudita executa 81 homens em um dia por terrorismo e outros crimes

Reuters

A Arábia Saudita executou 81 homens, incluindo sete iemenitas e um sírio neste sábado (12), disse o Ministério do Interior, na maior execução em massa do reino em décadas. O número superou as 67 execuções relatadas em todo o ano de 2021 e as 27 em 2020.

As ofensas variaram de ingressar em grupos militantes a manter “crenças desviantes”, disse o ministério em comunicado. “Esses indivíduos, totalizando 81, foram condenados por vários crimes, incluindo assassinato de homens, mulheres e crianças inocentes”, dizia o comunicado.

“Os crimes cometidos por esses indivíduos também incluem jurar lealdade a organizações terroristas estrangeiras, como o ISIS (Estado Islâmico), a Al-Qaeda e os houthis”, acrescentou. O ministério não disse como as execuções foram realizadas.

Os homens incluíam 37 cidadãos sauditas que foram considerados culpados em um único caso por tentar assassinar agentes de segurança e atacar delegacias e comboios de polícia, acrescentou o comunicado.

A execução em massa provavelmente trará de volta a atenção para o histórico de direitos humanos da Arábia Saudita em um momento em que as potências mundiais estão focadas na invasão da Ucrânia pela Rússia.

Grupos de direitos humanos acusaram a Arábia Saudita de aplicar leis restritivas à expressão política e religiosa e a criticaram por usar a pena de morte, inclusive para réus presos quando eram menores.

“Há prisioneiros de consciência no corredor da morte saudita e outros presos quando crianças ou acusados ​​de crimes não violentos”, disse Soraya Bauwens, vice-diretora da instituição de caridade contra pena de morte Reprieve, em um comunicado. “Tememos por cada um deles após esta demonstração brutal de impunidade”, acrescentou.

A Arábia Saudita nega acusações de abusos de direitos humanos e diz que protege sua segurança nacional por meio de suas leis.

A agência de notícias estatal SPA disse que os acusados ​​tiveram direito a um advogado e foram garantidos seus direitos totais sob a lei saudita durante o processo judicial.

O reino executou 63 pessoas em um dia em 1980, um ano depois que militantes tomaram a Grande Mesquita em Meca, segundo relatos da mídia estatal.

Um total de 47 pessoas, incluindo o proeminente clérigo muçulmano xiita Nimr al-Nimr, foram executados em um dia em 2016.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação